Associação Internacional de Radiodifusão e ONU Mulheres assumem compromisso em defesa dos direitos das mulheres nos meios de comunicação

Encontro reuniu entidades representativas do setor de radiodifusão e grupos de comunicação da Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Uruguai e Venezuela

Leia aqui a Declaração de Buenos Aires – Por um Planeta Igualitário em 2030
Compromisso dos Meios de Comunicação em defesa e promoção dos direitos das mulheres na América Latina e Caribe

Sob a liderança da AIR, grupo estabelece linhas de cooperação e planeja encontro sobre mulheres e mídia para 2018
Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

“Nos somamos à tarefa global de construção de um planeta igualitário, respondendo às origens da discriminação, gerando igualdade de oportunidades e dando passos decisivos para a igualdade substantiva em 2030”. Este é o trecho inicial da Declaração de Buenos Aires, estabelecida na terça-feira (31/10), entre a Associação Internacional de Radiodifusão (AIR) e a ONU Mulheres para Américas e Caribe durante reunião de apresentação do Pacto de Mídia “Dê um passo decisivo pela igualdade de gênero”. O encontro ocorreu na capital argentina e reuniu entidades representativas do setor de radiodifusão e grupos de comunicação da Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Uruguai e Venezuela.

Declaração de Buenos Aires evidencia o entendimento comum entre as instituições para fazer avançar o atendimento à área de preocupação Mulher e Mídia, constante do Plano de Ação de Pequim da 4ª Conferência Mundial sobre a Mulher, para a eliminação de estereótipos e preconceitos em suas divulgações de informações e o aumento do número de mulheres nos meios de comunicação, inclusive nas funções de liderança e tomada de decisão.

Declaração de Buenos Aires reconhece os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030 como instrumentos fundamentais para resposta dos meios de comunicação para um mundo inclusivo, em colaboração com o Pacto de Mídia, da ONU Mulheres. “Manifestamos nosso compromisso para gerar maior presença regional no Pacto Global de Meios, para alcançar a igualdade de gênero em 2030 por meio de uma coalizão, no marco de reuniões, congressos e liderança da AIR e de seus sócios e sócias nos países, que permita considerar a profundidade da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres nos meios de comunicação e seus conteúdos, identificar áreas de trabalho, intercambiar experiências e lições aprendidas, desenhar estratégias para criar condições de igualdade na representação de mulheres nos meios de comunicação, assim como metodologias de monitoramento e avaliação destas transformações”.

Outro ponto de destaque da Declaração de Buenos Aires é o enfrentamento ao machismo, racismo e outras formas de discriminação às mulheres. De acordo com o texto, AIR e ONU Mulheres para Américas e Caribe assumem o compromisso público de “contribuir para superar a profunda desigualdade de gênero, raça e etnia prevalente na América Latina e Caribe” além de frisar que “o direito à informação sem estereótipos é fundamental para a realização dos direitos humanos das mulheres”, reafirmando o direito à liberdade de expressão estabelecido na Declaração Universal de Direitos Humanos.

Dentre os compromissos iniciais entre AIR e ONU Mulheres, estão: “espaços de intercâmbio e criação de conteúdos colaborativos na região e organizar a segunda edição do Congresso de Meios de Comunicação e Igualdade de Gênero, em 2018, com foco no fomento da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres no interior dos meios”. Outras organizações e grupos de comunicação são convidados a se somar a este compromisso.

Cooperação latino-americana e caribenha – “Esse é o bom trabalho em favor de todas as comunidades. Esse é um passo a mais para remover obstáculos, discriminação e promover a igualdade de oportunidades para que tenhamos melhores sociedades. E para isso, contem com a AIR”, afirmou José Luis Saca, presidente da entidade.

Luiza Carvalho, diretora regional da ONU Mulheres para Américas e Caribe, assinalou a parceria inovadora recém-estabelecida. “Esse é um caminho que está se fazendo de duas mãos. O que estamos fazendo é trabalhar em evidências e não somente de falar que estamos buscando um mundo mais igualitário, justo e que é o mais certo. Falamos também sobre as evidências econômicas”, considerou.

Um dos principais articuladores da reunião, Paulo Tonet, presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV (Abert), ressaltou a importância da consolidação e continuidade da parceria. “Esse é um trabalho que todos temos de fazer. E fazer de maneira permanente. É um trabalho que precisa ser feito. Nós, latino-americanos, temos países com uma pobreza bárbara, com desigualdade econômica incrível e, além disso, essa é uma das desigualdades maiores que temos. Então, é um trabalho muito grande”, constatou Tonet sobre a cooperação entre AIR, grupos de comunicação América Latina e Caribe e ONU Mulheres.

Leia também:
Mulheres e mídia é a esfera que apresenta maior número de ‘tarefas pendentes’, diz ONU Mulheres a entidades filiadas à Associação Internacional de Radiodifusão

Grupos de comunicação e ONU Mulheres destacam ações pela igualdade de gênero na mídia em encontro da Associação Internacional de Radiodifusão

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s