Etapa do curso em Salvador começa hoje com turma para jornalistas

A etapa em Salvador do Curso de Comunicação, Saúde e Direitos das Mulheres começa hoje, 6, com a turma para jornalistas. O novo endereço da atividade é a Universidade Estácio de Sá/FIB– Campus Gilberto Gil (Rua Xingu, 179 – Jardim Atalaia),  Stiep. Os módulos sobre saúde associada a questões de gênero e o debate ético sobre a abordagem midiática em relação a estes temas compõem os primeiros módulos da atividade viabilizada por um projeto de cooperação entre a ONU Mulheres e a Fundação Ford.

O objetivo é incentivar a qualificação da cobertura jornalística nas diversas plataformas, redações e assessorias de comunicação destacando a importância da abordagem sobre a realidade de mulheres infectadas pelo zika vírus e outras arboviroses, como dengue e chikungunya, que compõem a chamada tríplice epidemia. Essa questão está articulada à discussão sobre o acesso aos direitos reprodutivos, direitos sexuais, à comunicação, prevenção e eliminação da violência contra as mulheres, sobretudo as negras e indígenas.

Comunicadoras

Em cada localidade o curso acontece para duas turmas distintas. Essa organização é por conta do entendimento que as rotinas profissionais e mídias usadas por  jornalistas têm características distintas das utilizadas por comunicadoras, comunicadores e ativistas. A atividade para o grupo de comunicadoras, comunicadores e ativistas será na quarta e na quinta (8 e 9) no Centro de Estudos Afro Orientais da Ufba (Ceao), localizado no Largo 2 de Julho.   

A turma para jornalistas é voltada para repórteres, editoras e editores, produtoras e produtores, assessoras e assessores de comunicação, além de estudantes de jornalismo. O curso retoma a parceria entre a ONU Mulheres e a  Fenaj  iniciada em 2011, com o Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas.  O sindicatos de jornalistas, como o Sinjorba, são apoiadores locais.

Além da Fenaj são entidades parceira da ação:  Articulação de ONGs de Mulheres Negras BrasileirasArtigo 19Blogueiras Negras, , IntervozesInstituto Patrícia GalvãoRede Mulher e MídiaRepórteres sem Fronteiras, Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas)OPAS/OMS (Organização Pan-americana e Saúde/Organização Mundial da Saúde). O curso acontece com apoio das ONGs Criola, Kilombo, Mirim e Odara e  instituições de ensino como o Instituto Federal do Rio Grande do NorteUniversidade Católica de Pernambuco,  Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade Estácio de Sá/FIB- unidade Salvador,  e das empresas de comunicação digital Google, Facebook e Twitter.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s